Arquivos


arquivo_imagem.jpg


Inclusão do ICMS na base de cálculo do PIS/Cofins é inconstitucional



Por maioria de votos, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), em sessão nesta quarta-feira (15), decidiu que o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) não integra a base de cálculo das contribuições para o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). Ao finalizar o julgamento do Recurso Extraordinário (RE) 574706, com repercussão geral reconhecida, os ministros entenderam que o valor arrecadado a título de ICMS não se incorpora ao patrimônio do contribuinte e, dessa forma, não pode integrar a base de cálculo dessas contribuições, que são destinadas ao financiamento da seguridade social.

Prevaleceu o voto da relatora, ministra Cármen Lúcia, no sentido de que a arrecadação do ICMS não se enquadra entre as fontes de financiamento da seguridade social previstas nas Constituição, pois não representa faturamento ou receita, representando apenas ingresso de caixa ou trânsito contábil a ser totalmente repassado ao fisco estadual. A tese de repercussão geral fixada foi a de que “O ICMS não compõe a base de cálculo para fins de incidência do PIS e da Cofins”. O posicionamento do STF deverá ser seguido em mais de 10 mil processos sobrestados em outras instâncias.

Além da presidente do STF, votaram pelo provimento do recurso a ministra Rosa Weber e os ministros Luiz Fux, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio e Celso de Mello. Ficaram vencidos os ministros Edson Fachin, que inaugurou a divergência, Luís Roberto Barroso, Dias Toffoli e Gilmar Mendes. O recurso analisado pelo STF foi impetrado pela empresa Imcopa Importação, Exportação e Indústria de Óleos Ltda. com o objetivo de reformar acórdão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que julgou válida a inclusão do ICMS na base de cálculo das contribuições.

Votos

O julgamento foi retomado na sessão de hoje com o voto do ministro Gilmar Mendes, favorável à manutenção do ICMS na base de cálculo da Cofins. O ministro acompanhou a divergência e negou provimento ao RE. Segundo ele, a redução da base de cálculo implicará aumento da alíquota do PIS e da Cofins ou, até mesmo, a majoração de outras fontes de financiamento sem que isso represente mais eficiência. Para o ministro, o esvaziamento da base de cálculo dessas contribuições sociais, além de resultar em perdas para o financiamento da seguridade social, representará a ruptura do próprio sistema tributário.

Último a votar, o ministro Celso de Mello, decano do STF, acompanhou o entendimento da relatora de que a inclusão do ICMS na base de cálculo do PIS e da Cofins é inconstitucional. Segundo ele, o texto constitucional define claramente que o financiamento da seguridade social se dará, entre outras fontes, por meio de contribuições sociais sobre a receita ou o faturamento das empresas. O ministro ressaltou que só pode ser considerado como receita o ingresso de dinheiro que passe a integrar definitivamente o patrimônio da empresa, o que não ocorre com o ICMS, que é integralmente repassado aos estados ou ao Distrito Federal.

Modulação

Quanto à eventual modulação dos efeitos da decisão, a ministra Cármen Lúcia explicou que não consta no processo nenhum pleito nesse sentido, e a solicitação somente teria sido feita da tribuna do STF pela Procuradoria da Fazenda Nacional. Não havendo requerimento nos autos, não se vota modulação, esclareceu a relatora. Contudo, ela destacou que o Tribunal pode vir a enfrentar o tema em embargos de declaração interpostos com essa finalidade e trazendo elementos para a análise.


FONTE: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=338378


Atualizado 16/03/2017





PRAZO ICMS - PARANÁ



Prazo de vencimento do ICMS, assim como o da entrega da EFD, continuará no dia 12 de cada mês

O Governo do Estado manteve o dia 12 como a data de vencimento para o pagamento do ICMS. A decisão consta do Decreto nº 5.807, publicado no dia 26 de dezembro de 2016, no Diário Oficial do Estado, e atende a mais uma reivindicação das entidades contábeis à Coordenação da Receita Estadual do Paraná. A primeira delas, em meados de dezembro, foi a manutenção do prazo de entrega da Escrituração Fiscal Digital (EFD) também para o dia 12 de cada mês.

O Decreto nº 5.807 assinado pelo governador do Estado, Carlos Alberto Richa, traz a Alteração 1107ª que determina: Fica revogada a alínea "b" do inciso XXII do caput do art. 75. Antes da revogação, a redação previa que o pagamento do ICMS fosse feito até o dia 10, a partir do mês de referência janeiro de 2017.

A manutenção do dia 12 como prazo para pagamento do ICMS foi celebrada pelo presidente do SESCAP-PR, Mauro Kalinke. “A publicação do decreto mostra que nosso pleito foi atendido por completo. É uma conquista em prol de toda a classe contábil”, afirma.

FONTE: SESCAP/PR



Receita e Fazenda Nacional vão monitorar bens de empresas

A dilapidação de patrimônio por empresas que questionam administrativamente autuações recebidas pela Receita Federal está na mira da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e da Receita Federal. A situação econômica das companhias será acompanhada por grupos de atuação especial no combate à fraude à cobrança administrativa e à execução fiscal (Gaefis) que têm integrantes dos dois órgãos e estão sendo estruturados desde outubro. O trabalho começará no próximo ano.

A proposta dos órgãos é evitar o esvaziamento de patrimônio das companhias desde a autuação até o momento da discussão judicial. A PGFN calcula que durante o processo administrativo, 60% dos contribuintes reduzem os bens que possuem para fugir das dívidas.

O que a Procuradoria da Fazenda observa é que, no momento da autuação, a empresa tem capacidade de pagamento. Mas finalizado o processo e a cobrança mantida, com o débito inscrito em dívida ativa, a empresa não tem mais bens.

“As companhias se aproveitam de um procedimento, muitas vezes moroso, para dissolver patrimônio e não pagar”, afirma a procuradora Anelize Lenzi Ruas de Almeida, diretora do Departamento de Gestão da Dívida Ativa da União.

O processo no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), por exemplo, demora de três a cinco anos – mas há casos de dez anos ou mais.

No trabalho preventivo à fraude, o Gaefis adotará medidas judiciais – como as chamadas cautelares para bloquear patrimônio – enquanto a empresa discute uma autuação no Carf, por exemplo. Tal prática é pouco utilizada atualmente, segundo a procuradora da Fazenda.

A ideia é monitorar os casos em que, entre a autuação e a inscrição em dívida ativa, houver requisitos para proposta de medida cautelar fiscal. Para verificar esses requisitos, a PGFN contará com o cruzamento de dados da Receita. “Hoje em dia não é comum entrar com ação judicial para evitar a dilapidação de patrimônio”, afirma Anelize. Normalmente, medidas cautelares são propostas quando o débito já está inscrito na dívida ativa, como uma preparação para a ação de cobrança, na execução fiscal.

Atualmente, a Receita fiscaliza, lavra autos milionários sem que a PGFN seja informada. Há a possibilidade, por exemplo, de a procuradoria e a Receita investigarem um mesmo grupo econômico sem se comunicarem.

Por isso, a troca de informações é essencial. A Receita possui os dados fiscais do contribuinte, a movimentação financeira e a capacidade de pagamento. Já a PGFN acompanha a jurisprudência ou a linha adotada pelos tribunais nas diversas teses jurídicas. A ideia é que auditores da Receita e os procuradores da Fazenda trabalhem juntos desde a formação do auto de infração à defesa judicial, com a apresentação de subsídios, dados de investigação e atividades de inteligência para localizar bens, por exemplo.

O estoque da dívida ativa da União soma R$ 1,8 trilhão, incluída uma parte previdenciária e outra referente ao FGTS. A procuradoria, também em conjunto com a Receita Federal e o Tesouro, está classificando esse estoque, com base na possibilidade de recuperação dos débitos – que vai do AAA até o D.

Nos primeiros grupos há potencial alto de recuperação e a PGFN já identificou algumas empresas. A procuradoria calcula que, pelo menos R$ 300 bilhões têm alto potencial a ser resgatado. Os grandes devedores, aqueles com débitos superiores a R$ 15 milhões, também são alvo. “Queremos ver a capacidade de pagamento e focar em quem vai pagar”, afirma a procuradora.

A Portaria nº1.525, publicada em outubro, estabeleceu 90 dias para a formação dos grupos de trabalho. Apesar da articulação ter começado, o trabalho foi em parte prejudicado pelo movimento de paralisação dos auditores da Receita, que a PGFN também passou em 2015. “A expectativa é começar em 2017 com força total” afirma procuradora Anelize Lenzi Ruas de Almeida.

Fonte: Contadores


Como tornar o RH um protagonista estratégico


Um termo muito utilizado no mundo corporativo é o RH estratégico. De acordo com Álvaro Camargo, consultor de projetos e negócios e professor convidado dos cursos de MBA da Fundação Getúlio Vargas, essa expressão é usada para dizer que o RH precisa participar das decisões estratégicas da empresa, desde o planejamento estratégico, para fazer com que a empresa gere valor para seus clientes e acionista, através da obtenção e retenção de talentos e buscando sempre a manutenção da vantagem competitiva da organização.
Isso é mais fácil de dizer do que de fazer. A realidade é que em boa parte das empresas o RH não consegue atuar de forma estratégica. “A razão disso é simples. Atuar de forma estratégica exige protagonismo. E para ser protagonista, o RH deve contar com meios para ser ouvido dentro da organização e, com isso, ser um elemento de influência. E não há como ser protagonista numa empresa sem que haja um claro entendimento de negócios”, resume Camargo.
De acordo com o consultor, o grande diferencial de qualquer empresa são as pessoas. “Mas não basta apenas obter e reter talentos. Isso é trivial. Uma das funções estratégicas do RH é influenciar positivamente as pessoas na organização, não apenas no alinhamento das ações com a estratégia da empresa, como também na execução de projetos estratégicos. As empresas atualmente vivem a era da consciência da necessidade de gerenciar projetos. Em quase toda empresa existe demanda para esse tipo de capacitação”.
Mas capacitar as pessoas a usar técnicas de gerenciamento de projetos não é suficiente. “Para que uma organização consiga fazer os projetos certos da forma certa, é necessário a obtenção de consenso. É justamente nesse ponto que há uma oportunidade espetacular de protagonismo para o RH: a de atuar como elemento de obtenção de consenso a respeito de quais projetos devem ser feitos e como devem ser feitos. É isso que eu chamo de influenciar positivamente as pessoas na organização. Conflitos em projetos são frequentes. Alguns desses conflitos são de ordem técnica e isso é positivo. Mas outros conflitos são resultados de lutas internas de poder. Conflitos de poder em projetos minam as possibilidades de entrega de resultados positivos. O RH é a área da empresa vocacionada para a prevenção e solução desse tipo de conflito”, diz o professor.
Para exemplificar, Camargo conta que, recentemente, ao desenvolver um processo de capacitação em gerenciamento de projetos em uma grande empresa, ele percebeu que a empresa perde um enorme potencial de obtenção de resultados por conta da não existência de algo simples: ter processos efetivos de lições aprendidas em projetos.
“Ter um processo de lições aprendidas em projetos não é algo complexo do ponto de vista técnico. Mas é algo complexo de ter quando existem disputas internas. No caso específico dessa empresa foi possível perceber que algumas áreas de importância estratégica trabalham de forma não integrada por conta de questões políticas. Fazer lições aprendidas em projetos numa situação onde existe disputa de poder é complicado. Erros cometidos sempre podem ser usados politicamente em conflitos. Quem sai prejudicado nessa situação? A empresa, que não aprende com erros cometidos. Entendo que um RH que se considera protagonista deve atuar no sentido de obter consenso entre as partes para que o processo de lições aprendidas em projetos se torne um ativo da organização e não um problema”.
Mas não basta que o RH esteja atento e busque obter consenso quando existem atritos entre diferentes áreas na empresa. “Só existe uma maneira de conseguir influenciar positivamente as pessoas na busca pelo alinhamento estratégico da organização. É necessário ter capital social, que é um elemento-chave para influenciar pessoas. Quem não tem capital social não consegue influenciar ninguém”, ressalta o consultor que explica que o primeiro ponto para obter capital social e ter influência numa organização é ter respeito das pessoas. “Para isso, é necessário que o profissional de RH seja ético, tenha capacidade de diálogo, saiba negociar e tenha disponibilidade para ouvir as pessoas. Mas existe dois elementos chaves, sem o qual, o RH não será ouvido nas esferas mais altas das empresas: entender de negócios e de gerenciamento de projetos”, afirma Camargo.
Segundo ele, os negócios tendem a ser cada vez mais complexos atualmente. Sem um claro entendimento de estratégia e de modelos de negócios, é impossível ser ouvido pela alta administração das organizações. “Por outro lado, as empresas necessitam mudar e precisam se adaptar às mudanças no ambiente de negócio. E para fazer isso, precisam fazer de maneira correta os projetos certos. Se o RH entende do negócio e de negócios e consegue discutir estratégias e modelos de negócio, sua chance de ser ouvido e de influenciar será muito maior. Se somarmos a isso a capacidade do profissional de RH de entender a dinâmica de planejamento e execução de projetos estratégicos, teremos um profissional com forte capacidade de influenciar positivamente nos rumos da empresa”, diz o consultor.
Para finalizar, ele dá algumas dicas aos profissionais de RH que queiram atuar de forma estratégica. “Busque desenvolver na sua organização processos de capacitação em três temas: estratégia, modelo de negócios e gerenciamento de projetos. Isso fará com que o RH passe a ter visibilidade de que está trabalhando em consonância com a questão estratégica. Ao fazer e participar desses processos de capacitação, o RH passará a entender desses assuntos, como também terá feedback dos participantes sobre questões-chave relacionadas com os projetos estratégicos. Isso pode ser um bom ponto de partida para o RH


Fonte: Canal ExecutivoLink: http://www2.uol.com.br/canalexecutivo/notas151/241120155.htm
Atualizado: 26/11/2015



Receita Federal disponibilizará janela de testes para os declarantes da e-Financeira


Atendendo a pedidos, a Receita Federal pretende disponibilizar, nas primeiras semanas de fevereiro de 2016, uma janela de testes para os contribuintes, no intuito de que cada declarante possa realizar as verificações necessárias para que seus sistemas estejam em funcionamento para a entrega da obrigação acessória prevista para a data limite de 31 de maio de 2016.


Os interessados em participar da janela de testes deverão enviar uma manifestação de interesse para a caixa corporativa e-financeira.df@receita.fazenda.gov.br, contendo as seguintes informações:


          - Nome da entidade;


          - CNPJ;


          - Contato(s) na entidade com nome, endereço completo, telefone e e-mail.


As solicitações de participação deverão ser encaminhadas até 30 de novembro de 2015, para que possa ser realizada uma adequada programação e correto dimensionamento dos testes.


Após o recebimento das manifestações de intenção de participação na janela de testes, enviaremos maiores informações com os detalhes técnicos dos procedimentos a serem executados.”


A e-Financeira é uma obrigação acessória que reúne diversas informações relativas a operações financeiras de interesse da Receita Federal, constituída por um conjunto de arquivos a serem entregues em leiautes específicos, por meio do ambiente do Sped.


Ficam obrigadas a apresentar a e-Financeira as pessoas jurídicas autorizadas a estruturar e comercializar planos de benefícios de previdência complementar; autorizadas a instituir e administrar Fundos de Aposentadoria Programada Individual (Fapi); ou que tenham como atividade principal ou acessória a captação, intermediação ou aplicação de recursos financeiros próprios ou de terceiros, incluídas as operações de consórcio, em moeda nacional ou estrangeira, ou a custódia de valor de propriedade de terceiros; e as sociedades seguradoras autorizadas a estruturar e comercializar planos de seguros de pessoas


Fonte: LegisWebLink: https://www.legisweb.com.br/noticia/?id=15286
Atualizado 18/11/2015



Vantagens de uma Contabilidade Terceirizada.

Assim como em outras áreas, a Contabilidade vem sofrendo com a escassez de profissionais, principalmente quando é exigido experiência. A solução para muitas empresas vem sendo contratar escritórios para terceirizar o serviço contábil. Existe certa resistência por parte dos Empresários em contratar escritórios ao invés de manter um profissional dentro da empresa, talvez por receio de que o serviço não satisfaça sua necessidade ou que o escritório não consiga se adequar à forma de trabalho da empresa.

Sabemos que uma Contabilidade para ser bem elaborada, precisa estar totalmente adaptada a forma de trabalho da empresa, e que nem todos os Escritórios de Contabilidade aceitam fazer essa adaptação, exigindo que a empresa se adapte a forma de trabalho do Escritório.

O Escritório Salvador busca adaptar-se ao máximo com a forma de trabalho da empresa, fazendo que a empresa não precise se adaptar para atender o escritório e sim o escritório se molde para atender as exigências do cliente.

Uma das vantagens em contratar um Escritório e não um Profissional é a possibilidade de cobrar do Escritório no caso de haver erros, caso se tenha um profissional interno na empresa, qualquer sanção imposta por erros deverá ser absorvida pela empresa sem possibilidades de cobrar do funcionário.

Contratando um Escritório, certos programas de contabilidade já irão juntos com o pacote de serviços, e com um profissional interno a empresa deverá custear esses softwares.

Outra vantagem e talvez a mais importante, e não manter vinculo trabalhista, o que gera vários encargos previdenciários e responsabilidade com o colaborador.

Contratando um Escritório é possível ter vários profissionais a sua disposição, diferente de ter apenas um profissional contratado pela empresa.

É claro que conforme o tamanho e atividade da empresa o ideal é ter um setor contábil interno, que poderá estar sempre presente nas operações, mas isso vai gerar um custo alto para empresa, e de qualquer forma é sempre recomendado que haja uma Assessoria Contábil externa, para poder analisar as operações realizadas de uma forma neutra.

Publicado Novamente em 17/11/2015


E-SOCIALVAI DAR MAIS TRABALHO PARA AS EMPRESAS ATÉ 2017


A implantação do eSocial vai duplicar as obrigações acessórias (trâmites burocráticos) para as empresas. Isso vai acontecer no período de transição para esse novo sistema. Pelo cronograma da Receita Federal, a partir de setembro de 2016, todas as empresas que faturam mais de R$ 78 milhões terão de adotar o eSocial.
Entretanto, as obrigações acessórias que seriam substituídas por ele só serão completamente extintas em dezembro de 2017.
Nesse período, os dados trabalhistas e previdenciários inseridos no eSocial também terão de ser informados em guias como a GFIP, DIRF, RAIS, CAT entre outras usadas atualmente.
 “Não tem como mudar de uma vez, até porque existem obrigações anuais. Por alguns meses, as empresas terão de conviver com os dois meios”, comentou Paulo Roberto Magarotto, auditor fiscal da Receita Federal, durante palestra no 16° Congresso da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), que acontece no Guarujá, litoral paulista.
Segundo Magarotto, as obrigações acessórias substituídas pelo eSocial serão extintas gradualmente até dezembro de 2017. “Estou trabalhando com essa previsão, que ainda é extraoficial”, disse o representante da Receita. 
O eSocial é um banco de dados que será abastecido pelos contribuintes com informações da folha de pagamento, obrigações trabalhistas, previdenciárias e fiscais. Os entes públicos acessarão nesse banco aquelas informações pertinentes às suas atribuições.
Todos aqueles que contratam mão-de-obra remunerada serão obrigados a se adequarem ao eSocial, sejam pessoa jurídica, entes públicos ou pessoa física. As regras também incluem empregadores domésticos.  


CADASTRO


Embora a obrigatoriedade do eSocial para as empresas esteja prevista para setembro de 2017, é importante que os empresários comecem a fazer o saneamento dos dados trabalhistas e previdenciários dos seus funcionários. 
O sistema da Receita impedirá o cadastramento de trabalhadores se houver inconsistência nos dados fornecidos. Por exemplo: quando o nome que consta do CPF diverge por algum motivo do nome que aparece no PIS. “Nesses casos será preciso arrumar o documento incorreto no órgão responsável para então fazer o cadastro no eSocial”, disse Magarotto.
O cronograma de implantação do eSocial já foi alterado inúmeras vezes. O mais recente prevê que em setembro de 2016 todas as empresas que faturaram mais de R$ 78 milhões em 2014 terão de adotar o sistema. Para as demais empresas, seria apenas em 2017.


EMPREGADOR DOMÉSTICO


Para empregadores domésticos o eSocial passaria a ser obrigatório nesta sexta-feira (06/11), mas o governo federal decidiu adiar o prazo por causa da dificuldade de instabilidades no sistema. A exigência foi prorrogada para o dia 30 de novembro.
Segundo Magarotto, a Receita foi pega de surpresa pela determinação do Governo Federal. “O empregador doméstico só entraria em 2017, mas veio a lei (Lei Complementar n° 150/2015) que mudou tudo. O governo pediu para que o sistema atendesse à lei”, comentou o auditor fiscal.
“Tivemos um problema de tecnologia. O sistema não aguentou. Eu mesmo fiquei três dias tentando cadastrar minha empregada”, disse Magarotto


FONTE:http://www.dcomercio.com.br/categoria/leis_e_tributos/esocial_vai_dar_mais_trabalho_para_as_empresas_ate_2017


Atualizado: 10/11/2015




E-FINANCEIRA A PARTIR DE 01/12/2015




A nova declaração e-financeira, começa a ser entregue a partir de 01/12/2015. Estão obrigadas a entregar essa declaração, todas as instituições financeiras, mas o objetivo principal é fiscalizar todos, tanto pessoas físicas quanto jurídicas, que terão as informações de suas contas bancárias, aplicações financeiras e demais operações, enviadas via SPED, para a Receita Federal.
O objetivo da Receita Federal é de aumentar a fiscalização nos rendimentos dos contribuintes, dessa forma o fisco vai ter acesso a todas as contas bancárias de todos contribuintes, mês a mês, possibilitando fiscalizar confrontando os valores de entradas e saídas das contas bancárias com as informações apresentadas na Declaração de Imposto de Renda (PESSOA FÍSICA) , ECF e SPED CONTÁBIL (PESSOA JURÍDICA).


O QUE MUDA?


Antes dessa declaração a Receita Federal somente tinha como fiscalizar as contas que o próprio contribuinte apresentava nas declarações (DIRPF, SPED CONTÁBIL, ECF), com essa nova declaração o fisco já vai saber as informações de todas as contas, podendo fazer uma comparação da informação entregue pelos bancos com as informações apresentadas pelo contribuinte.
Antes a Receita Federal somente tinha acesso ao valor que o contribuinte tinha Na Conta em Primeiro de Janeiro e Trinta e Um de Dezembro de cada Ano, com essa declaração o Fisco vai ter acesso a toda a movimentação financeira, ou seja, seria como se a Receita tivesse acesso ao extrato mensal de cada contribuinte, todas as entradas e saídas nas Contas Bancárias.


O QUE PRECISA SER OBSERVADO?


Os contribuintes, para evitar transtornos, precisa fazer um controle mensal desses extratos, ou seja ter um gerenciamento desses extratos, pois os recebimentos tanto na pessoa Física quanto na Jurídica, devem ser contabilizados e compatíveis com os valores de entradas nos extratos Bancários, precisando fazer controles de contas recebidas adiantadas ou atrasadas, elaborando um fluxo, com notas explicativas de tudo que ocorreu de forma distinta da Declaração (IR, SPED CONTÁBIL E ECF) para os Extratos Bancários.


Pedir de forma Mensal a todos os bancos que possui Vínculo, para enviar os extratos e se atentar para não se esquecer de informar nenhuma Conta Bancária ou investimento, visto que a Receita já vai ter acesso a todos seus vínculos com instituições financeiras, e uma possível inconsistência estará sujeito a Multa.  


*Estamos com um pacote de Serviços para controle e fluxo de conferencia mensal em Contas e Investimentos de Pessoas Físicas e Jurídicas.
Dúvidas ou informações entrar em contato no FONE: (43)3424-5946 email: recepção@escritoriosalvador.com.br – Rua Nova Ukrania, 16 – Sala 03, Ao lado da Delegacia 17ª SDP – Apucarana/PR, CEP 86.800-550.


EMPREGADO DOMÉSTICO


A nova regulamentação dispõe sobre a obrigatoriedade de registrar e efetuar pagamento referente ao FGTS dos empregados domésticos.
Todos que tiverem um empregado doméstico estão obrigados a partir de 01/10/2015, a fazer o registro e efetuar o recolhimento do FGTS.
O prazo para fazer o registro e efetuar o pagamento foi prorrogado, sendo a data limite em 30/11/2015.
Os empregadores que não fizerem o cadastro estarão sujeitos a multa.

A nova regulamentação tem a finalidade de garantir mais segurança ao empregado doméstico na tentativa de iguala-lo com os demais trabalhadores.


Estamos atendendo aqueles que ainda não se formalizaram ou ainda possuem dúvidas sobre os novos procedimentos: RUA NOVA UKRANIA, 16 – SALA 03, AO LADO DA DELEGACIA, APUCARANA/PR, FONE: (43) 3424-5946 OU (43) 9923-1344

Atualizado 05/11/2015







CONTROLE PARA IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA


Com a implantação na Nota Fiscal Consumidor e a Declaração e-financeira, os contribuintes deverão adotar controles que auxiliaram na entrega do Imposto de Renda.


Essas novas obrigações conterão informações sobre as compras realizadas pelos contribuintes, bem como as entradas e saídas em todas as contas bancárias.


Dessa forma, para evitar problemas com divergências no Imposto de Renda, lançamos um Pacote de Serviços de auxilio ao Imposto de Renda, que consiste em organizar e já fazer uma prévia mensalmente de como vai ficar o Imposto de Renda.


Maiores informações podem serem dadas através da aba “Solicite Orçamento” ou no telefone (43) 3424-5946, Rua Nova Ukrania, 16 Sala 03 – Ao lado da Delegacia, Apucarana/PR.


Atualizado 07/08/2015





NOVA DECLARAÇAO DE MOVIMENTAÇÃO BANCÁRIA


Governo lança nova declaração, que deve ser entregue pelos Bancos e demais instituições Financeiras. Essa declaração, “e-financeira”, vai conter todos dos dados da movimentação bancária dos contribuintes, tanto de Pessoas Físicas quando de Pessoas Jurídicas, fazendo com que o fisco tenha acesso a todas as informações financeiras dos contribuintes possibilitando a elaboração, que possivelmente será processada de forma automática, por se tratar de um SPED. 


Essas informações serão prestadas juntamente com o SPED, e entra em vigor em Dezembro de 2015.


Essas informações vão permitir que o fisco analise e confronte a situação financeira dos contribuintes, tornando possível confrontar as receitas declaradas com as entradas nas Contas Bancárias, diminuindo dessa forma a sonegação fiscal.


Dica: os contribuintes, tanto Pessoas Físicas quanto Jurídicas deverão manter um total controle, que deverá ser feito no mínimo de forma mensal, para as empresas que tem a escrituração contábil em dia isso não será problema, mas para outros, principalmente pessoas físicas, segue um alerta, quando entrar em vigor essa declaração aqueles que são obrigados a Declaração do Imposto de Renda, terão que manter um controle para evitar inconsistências de Receitas Declaradas com as entradas Nas Contas Bancárias e com as Compras no CPF/MF que vão sair na Nota Fiscal Consumidor.


Possuímos um Pacote de Serviços destinados a esses contribuintes, fazendo um controle mensal auxiliando na Declaração de Imposto de Renda – Ajuste Anual. Maiores informações entre em contato na Aba “Solicite Orçamento” ou no telefone: (43) 3424-5946, Rua Nova Ukrania, nº 16 – Sala 03 – Ao lado da Delegacia, Apucarana - Paraná

Atualizado 06/08/2015


NOTA FISCAL CONSUMIDOR ELETRONICA - NFC-e


O Estado do Paraná vem modernizando as obrigações acessórias, a mais nova obrigação é a Nota Fiscal Consumidor Eletrônica, onde todos os contribuintes, com algumas exceções, serão obrigados a adotar o novo sistema.
A ideia é diminuir a sonegação de impostos e fazer com que pelo menos 30% do ICMS recolhido seja retornado de forma direta para os consumidores, que deverão exigir a Nota Fiscal e atentar-se para que o seu CPF conste no documento fiscal eletrônico.
A implantação do novo sistema será de forma gradativa, sendo que os prazos variam de acordo com a atividade da empresa, como segue:
1º de julho de 2015 – Postos de gasolina
1º de agosto de 2015 – Bares, restaurantes, lanchonetes e similares, casas de chá, sucos, cantinas, serviços ambulantes de alimentação, comércio varejista especializado em instrumentos musicais e acessórios, livros, jornais, revistas, discos, DVD’s e fitas, artigos de viagem, artigos pirotécnicos, artigos de ótica, armas e munições, fornecimento para alimentos para consumo domiciliar
1º de setembro de 2015 – comércio e varejo de automóveis, camionetas, motos e utilitários novos e usados, de peças, comércio de calçados, tecidos, armarinhos, gás, lubrificantes, suvenirs, bijuterias e artesanatos
1º de outubro de 2015 – padarias, joalherias, relojoarias, comércio de artigos usados e suprimentos para informática, de iluminação, telefonia, eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo
1º de novembro de 2015 – lojas de vestuário, de cartuchos, plantas e flores, objetos de arte, equipamentos para escritório, tintas, materiais elétricos e hidráulicos e materiais de construção em geral
1º de dezembro de 2015 – Lojas de departamentos, vestuário, decoração, lojas de conveniência, brinquedos, caça, pesca, papelaria, cama, mesa e banho, perfumaria, animais vivos, farmácia, artigos para filmagem e varejo com predominância de comércio alimentício (mercados, minimercados, hipermercados, etc).


Maiores Informações de como adquirir um software ou assessoria para implantação e emissão da Nota Fiscal Eletrônica entrar em contato conosco: ESCRITÓRIO SALVADOR ASSESSORIA CONTÁBIL E ADMINISTRATIVA, FONE (43) 3424-5946, Rua Nova Ukrania, 16 – Sala 03 – ao Lado da Delegacia - Apucarana - Paraná.

Atualizado: 05/08/2015.


Vantagens de uma Contabilidade Terceirizada.

Assim como em outras áreas, a Contabilidade vem sofrendo com a escassez de profissionais, principalmente quando é exigido experiência. A solução para muitas empresas vem sendo contratar escritórios para terceirizar o serviço contábil. Existe certa resistência por parte dos Empresários em contratar escritórios ao invés de manter um profissional dentro da empresa, talvez por receio de que o serviço não satisfaça sua necessidade ou que o escritório não consiga se adequar à forma de trabalho da empresa.

Sabemos que uma Contabilidade para ser bem elaborada, precisa estar totalmente adaptada a forma de trabalho da empresa, e que nem todos os Escritórios de Contabilidade aceitam fazer essa adaptação, exigindo que a empresa se adapte a forma de trabalho do Escritório.

O Escritório Salvador busca adaptar-se ao máximo com a forma de trabalho da empresa, fazendo que a empresa não precise se adaptar para atender o escritório e sim o escritório se molde para atender as exigências do cliente.

Uma das vantagens em contratar um Escritório e não um Profissional é a possibilidade de cobrar do Escritório no caso de haver erros, caso se tenha um profissional interno na empresa, qualquer sanção imposta por erros deverá ser absorvida pela empresa sem possibilidades de cobrar do funcionário.

Contratando um Escritório, certos programas de contabilidade já irão juntos com o pacote de serviços, e com um profissional interno a empresa deverá custear esses softwares.

Outra vantagem e talvez a mais importante, e não manter vinculo trabalhista, o que gera vários encargos previdenciários e responsabilidade com o colaborador.

Contratando um Escritório é possível ter vários profissionais a sua disposição, diferente de ter apenas um profissional contratado pela empresa.

É claro que conforme o tamanho e atividade da empresa o ideal é ter um setor contábil interno, que poderá estar sempre presente nas operações, mas isso vai gerar um custo alto para empresa, e de qualquer forma é sempre recomendado que haja uma Assessoria Contábil externa, para poder analisar as operações realizadas de uma forma neutra.

Atualizado 01/07/2015


Contabilidade Mista Integrada

Para empresas de Médio e Grande Porte, nossa forma de trabalho é um pouco diferente, para melhor atender nossos clientes.

A contabilidade integrada consiste em estar diariamente em contato com o cliente, além do acesso virtual, um de nossos colaboradores, sempre está na sua empresa, dessa forma nosso serviço será elaborado de forma mista, ou seja, parte no escritório e parte na empresa de nosso cliente.

Essa forma de serviço permite que a empresa esteja constantemente tendo assessoria, como se o nosso cliente tivesse um setor de contabilidade dentro da própria empresa.

Os serviços vão variar conforme a contratação e a demanda do cliente.

No final do período será marcada uma reunião para apresentação das demonstrações contábeis e para elaboração de planejamento para o período seguinte.

Solicite um orçamento ou tire suas dúvidas na aba "solicite orçamento" ou entre em contato conosco:

(43) 3424-5946 ou (43)9923-1344 (tim) Rua Nova Ukrania, 16 - sala 03, Ao Lado da Delegacia - Apucarana/PR




Lei das Domésticas: 11 coisas que você precisa saber

Regulamentação do trabalho doméstico é aprovada pelo Senado e espera assinatura da presidente Dilma



Após quase dois anos de tramitação no Congresso, as regras para contratar empregadas domésticas foram aprovadas pelo Senado e esperam, apenas, a assinatura da presidente Dilma Rousseff para entrarem em vigor. Entre os assuntos tratados no texto, estão o estabelecimento de uma jornada máxima de trabalho e os benefícios para os empregados domésticos, e os impostos que serão pagos pelo patrão.

Confira, a seguir, 11 coisas que você precisa saber sobre as regras que devem regularizar a situação de cerca de 8 milhões de pessoas no País.

1) Quem deve ser registrado?

Qualquer pessoa que trabalhe mais de dois dias por semana em uma mesma residência.

2) Como deve ser o registro?

Além do registro na Carteira de Trabalho e Previdência, patrão e empregado deverão elaborar um contrato de trabalho. Esse contrato poderá ser rompido pelos dois, em qualquer momento, desde que o aviso-prévio seja pago, conforme a CLT.

3) Qual a jornada de trabalho dos domésticos?

A lei determina que a carga seja de oito horas por dia, sem ultrapassar o total de 44 horas por semana. A outra opção permitida pela lei é uma jornada de 12 horas seguidas, com 36 horas posteriores de descanso. O intervalo para almoço vai de uma a duas horas. A pausa pode ser reduzida para 30 minutos, desde que haja acordo por escrito entre patrão e empregado.

4) Como pagar as horas extras?

O valor de cada hora extra deverá ser, pelo menos, 50% maior que o de uma hora normal de trabalho. Haverá duas formas de compensar o empregado. Como o limite semanal é de 44 horas, o tempo que ultrapassar essa carga será considerada hora extra. As primeiras 40 horas extras deverão ser, obrigatoriamente, pagas em dinheiro. O que passar de 40 horas extras poderá compor um banco de horas que serão compensadas em, no máximo, um ano.

5) Como ficam os impostos do patrão sobre o salário pago?

O patrão pagará um total de 20% de impostos sobre o valor do salário do trabalhador doméstico. O percentual é composto por: 8% de FGTS; 8% de INSS; 0,8% de seguro contra acidente; 3,2% para uma conta aberta pelo empregador, que servirá para arcar com o eventual pagamento da demissão do funcionário, quando não houver justa causa.

6) Como o patrão poderá pagar esses impostos?

A partir do momento em que Dilma assinar a lei, o governo terá um prazo de 120 dias para criar o Super Simples Doméstico. O objetivo será permitir que o patrão pague todos os impostos devidos, com um único boleto, que estará disponível pela internet. O Ministério do Trabalho será o responsável por organizar o pagamento.

7) Quanto o patrão pagará de multa, em caso de demissão?

Se não for por justa causa, a demissão terá multa de 40% do FGTS. Esse valor será coberto, em parte ou no todo, pela conta aberta pelo empregador, no qual depositará, todo mês, o equivalente a 3,2% do salário do empregado. A multa não vale para casos de demissão por justa causa, licença, morte ou aposentadoria do doméstico. Nesses casos, o dinheiro da conta voltará para o empregador.

8) O que fazer, quando o empregado viaja com os patrões?

As horas que ultrapassarem a carga máxima semanal de 44 horas poderão ser compensadas pelo patrão, após a viagem. O pagamento desse período terá um acréscimo de 25%, e o patrão não poderá descontar despesas de alimentação, transporte e hospedagem do empregado.

9) Que outros benefícios são obrigatórios pela lei?

a) Repouso semanal: o empregado terá direito a, pelo menos, um repouso semanal de 24 horas ininterruptas, de preferência, aos domingos;

b) Férias: deverão ser remuneradas com acréscimo de um terço do salário; o total de 30 dias de férias poderá ser dividido em dois períodos. Um deles deverá ter, no mínimo, 14 dias;

c) Licença-maternidade: terá 120 dias;

d) Auxílio-transporte: deverá ser pago por “vale” ou em dinheiro;

e) Aviso-prévio: deverá ser proporcional ao tempo trabalhado;

f) Salário-família: o patrão terá que pagar um valor de salário-família, para cada filho com idade até 14 anos do empregado, ou filho inválido de qualquer idade. O texto não cita o valor, mas, em empresas, quem ganha até R$ 725 por mês, recebe R$ 37,18 por filho; acima disso, até R$ 1.089, o valor cai para R$ 26,20;

g) Adicional noturno: a lei determina que o trabalho noturno será aquele exercido entre as 22 horas de um dia, até as 5 horas do dia seguinte; cada hora paga terá adicional de 12,5% sobre o valor de uma hora diurna; o empregado que trabalhar à noite tem direito a 24 horas de descanso ininterruptas;

h) Auxílio-creche: ainda depende de acordo ou convenção coletiva entre os sindicatos dos trabalhadores domésticos e dos patrões;

10) Quem vai fiscalizar o cumprimento dos contratos?

O fiscal do Ministério do Trabalho deverá agendar previamente uma visita para avaliar as condições do doméstico.

11) O que o patrão deve fazer com contribuições atrasadas no INSS?

A partir da sanção presidencial da lei, será criado o Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregados Domésticos (Redom). A medida vai facilitar o pagamento de dívidas com a previdência vencidas em 30 de abril de 2013. Será concedido desconto de 100% no valor das multas sobre os atrasados; e desconto de 60% sobre os juros cobrados. As dívidas poderão ser parceladas em até 120 dias, com parcela mínima de R$ 100.


FONTE: Isto é
Atualizado 12/05/2015

CONTABILIDADE ADEQUADA

A contabilidade não deve ser analisada de forma padrão, cada empresa possui suas particularidades, por isso o relatório que uma empresa necessita pode ser dispensado em outra empresa.

O que define as técnicas a serem empregadas são as atividades e o porte da empresa, e assim como outras ciências, a contabilidade deve ser planejada.

Normalmente um produto de qualidade vai ter um custo um pouco mais elevado, preço e qualidade são fatores distintos que dificilmente se juntam, ou seja, quanto maior a qualidade maior o custo.

Um erro cometido por muitos empresários está na escolha do profissional da contabilidade que optam por buscar melhores preços e não analisam a qualidade e especialidades do profissional.

A Contabilidade, mesmo quando terceirizada, faz parte da administração da sua empresa, aí eu te pergunto: Você vai querer que sua empresa seja administrada por qualquer um? O que interessa é o preço e não a qualidade?

A Contabilidade assim como a administração, são partes integrantes do cérebro da sua empresa, não adianta ter uma empresa forte se ela não tem rumos e nem planejamento.

A simples escolha errada do profissional, que às vezes parece algo irrelevante, pode ser a chave do seu sucesso ou fracasso.

Atualizado 06/05/2015




PLANO ORÇAMENTÁRIO

A melhor forma de evitar aqueles transtornos de ficar sem dinheiro, que normalmente ocorre no fim do mês, fazendo com que sua empresa ou até mesmo suas contas pessoais fiquem atrasadas é elaborar um eficiente plano de orçamento.

O orçamento previsto deve ser traçado e para funcionar deve ser seguido como se fosse uma lei, no decorrer do curso não será possível alterar o plano.

Por isso a importância de ser feito junto com um especialista na área, que vai dar o norte para a elaboração e como ele deve ser tratado.

Para maiores informações entre em contato:

recepção@escritoriosalvador.com.br
FONE: (43) 3424-5946 OU (43) 9923-1344
Rua Nova Ukrania, 16 Sala 03 – N.S. da Conceição (Ao lado da delegacia) Apucarana - Paraná

Atualizado 05/05/2015

Custos de Produção – empresa de confecções

No atual panorama financeiro que vivemos em nosso País, é fundamental conseguirmos definir com eficiência os custos de produção.

A análise de custos é uma ferramenta que deve ser vista com cautela, pois é a partir dela que conseguiremos definir o preço do produto final.

Muitos empresários erram na análise de custo vendendo um produto pensando que vai obter lucro, talvez por colocar preço mais barato que o concorrente e conseguir uma demanda melhor, e acabam tendo prejuízo por estar vendendo abaixo do preço de custo.

E esse prejuízo aumenta na medida que cresce a quantidade de produtos vendidos, é uma conta simples, o faturamento multiplicado por uma margem de contribuição positiva tende a dar um valor positivo (lucro), já ao contrario se a margem de contribuição for negativa o valor auferido será negativo (prejuízo) e quanto maior o faturamento maior será o resultado, seja ele mais negativo ou mais positivo.

A melhor dica é procurar a assessoria de um profissional, que vai conseguir fazer uma analise bem elaborada sobre o empreendimento, evitando possíveis transtornos por tomar a decisão errada.

Maiores informações entrar em contato:
recepcao@escritoriosalvador.com.br
FONE: (43) 3424-5946 ou (43) 9923-1344

atualizado 04/05/2015

10 Erros na Hora de Declarar o Imposto de Renda.

Com o objetivo de pagar menos imposto ou conseguir aumentar o valor a restituir, muitos contribuintes informam dados desnecessários na declaração, muitas vezes esses dados acabam prejudicando-o. As informações declaradas devem estar sempre acobertadas por documentação legal, sendo que a Receita Federal pode aplicar multa que varia entre 75% até 150% do valor do Imposto devido ou a restituir.

A MELHOR DICA É SEMPRE PROCURAR UM PROFISSIONAL DA CONTABILIDADE, ELE VAI INSTRUIR O CONTRIBUINTE A MELHOR FORMA DE DECLARAR O IMPOSTO DE RENDA, EVITANDO MULTAS E POSSIBILITANDO DECLARAR O IMPOSTO DA MELHOR FORMA SEM PAGAR VALORES INDEVIDOS.

Segue abaixo uma relação dos maiores 10 erros dos contribuintes na hora de declarar o Imposto de Renda:


1- Bens de pequeno valor

Muitos contribuintes incluem na declaração de bens itens que não são obrigatórios, como linhas telefônicas, que antigamente eram de valor significativo, mas hoje não tem mais valor. O valor mínimo para se declarar é de R$ 5.000,00.

2- Saldo bancário

Se o saldo bancário do contribuinte for inferior a R$ 140,00, o contribuinte não precisa declarar.

3- Cursos de dança
Gastos com cursos de danças, línguas estrangeiras, artes marciais e academias, por exemplo, não precisam ser informados, já que não rendem dedução.

4- Gastos com pet
Muitos informam gastos com alimentação de seus animais, bem como consultas e exames veterinários. Tais informações não trazem benefício algum, sendo desnecessário informar.

5- Filho que não nasceu
Segundo um dos especialistas consultados, há casos de contribuintes que “inventam” ter filhos para conseguir inclui-lo como dependente.

6- Atualização do valor do imóvel
Atualizar o valor de imóvel já declarado é outro erro relativamente comum. Quando o contribuinte atualiza o valor do imóvel a preço de mercado –o que não é permitido pela legislação, ele pagará o imposto sobre essa valorização. Posteriormente, quando vender esse imóvel, incidirá o ganho de capital pela diferença positiva entre o custo de compra e o preço da venda, sendo devido o imposto novamente.

7- Um filho em duas declarações

É permitido incluir o filho em apenas uma das declarações, ou do pai ou da mãe. Ele não pode aparecer em duas declarações ao mesmo tempo.

8- Lançar compra de imóvel com valor menor que o constante na escritura.

9- Declarar os rendimentos sem ter em mão os informes de rendas
O contribuinte corre o risco de ser intimado pela Receita Federal e não conseguir comprovar depois.

10- Lançar despesas incompatíveis com os rendimentos recebido no ano.
Se ficar provado que o contribuinte declarar ter gastado mais do que recebeu, ou seja, mostrar despesas incompatíveis com sua renda, a Receita poderá cobrar multa.

FONTE: Dados retirados do site: www.g1.com.br

AGENDE UM HORÁRIO CONOSCO E TIRE SUAS DÚVIDAS – (43) 3424-5946 / 9923-1344 / 9644-4025 – Rua Nova Ukrania, 16 – Sala 03 – Ao lado da Delegacia – Apucarana/PR.

IMPOSTO DE RENDA

O prazo para entrega do Imposto de Renda da Pessoa Física começou no dia 02/03/2015 e vai até o final do mês de Abril. A entrega é obrigatória para todos que tiveram renda superior a R$ 26.816,55, quem teve rendimentos isentos ou não tributáveis superiores a R$ 40.000,00, quem obteve ganho de capital na venda de bens moveis ou imóveis, quem realizou operações na bolsa de valores.

As Multas variam sendo de no mínimo R$ 165,74 limitado a 20% do valor devido.

DICAS IMPORTANTES:

  • Quem tem planos de fazer algum financiamento neste ano ou no inicio do ano que vem, ou outro tipo de operação que vai necessitar comprovação de Renda o ideal e entregar a declaração.
  • Quem teve em algum mês um valor de retenção de imposto de Renda o ideal é fazer a entrega para restituição do valor retido, caso possível.
  • Separe com antecedência os documentos para fazer a declaração, tais como: recibos médicos, pagamentos de despesas com Ensino, documentos de compra ou venda de veículos ou imóveis, documentos que comprovem benfeitorias realizadas nos bens, extratos bancários, informe de rendimentos.
  • Verifique nos recibos médicos se eles possuem carimbo e assinatura do Médico, Dentista, fisioterapeuta, psicólogo.
  • Confira se não existe alguma renda que esteja faltando, verifique a evolução patrimonial ela deve estar condizente com os recebimentos anuais, tendo em vista que a evolução patrimonial somado com as despesas básicas normalmente será inferior aos valores recebidos.
  • A melhor dica é procurar um Profissional da Contabilidade para evitar problemas, ele vai conseguir te orientar sobre tudo que pode ser feito para não cair na malha e não pagar imposto de forma indevida.


Muitos contribuintes optam pela forma mais econômica, e resolve fazer a própria declaração, e acaba cometendo alguns erros, por não observar algumas peculiaridades na declaração. Muitas vezes esses erros são muito simples de resolver, mas depois que a declaração é entregue acaba sendo impossibilitados de solucioná-los e o contribuinte além do transtorno, acaba tendo que pagar mais impostos sem contar as multas que podem ser aplicadas.

Vários pensam assim, “Eu vou entregar aqui, e se der algum problema? aí eu procuro um profissional”, esse talvez seja o maior dos erros, pois quando procurar um profissional para resolver seu problema, com certeza ele vai cobrar muito mais caro para solucionar o problema do que se fosse fazer a declaração, e em vários casos não tem como solucionar depois de entregue errado.

AGENDE UM HORÁRIO CONOSCO E TIRE SUAS DÚVIDAS – (43) 3424-5946 / 9923-1344 / 9644-4025 – Rua Nova Ukrania, 16 – Sala 03 – Ao lado da Delegacia – Apucarana/PR.


Manual Empresa de Confecção.

Quem deseja se tornar um Empresário ou constituir uma Sociedade Empresarial no ramo de confecções, assim como nas outras atividades, precisa ter conhecimento de uma série de requisitos e obrigações que uma empresa possui.

Algumas regras são essenciais para a abertura e manutenção da empresa. O Escritório Salvador possui um manual, que foi disponibilizado pelo SEBRAE/SP, que contém algumas informações que serão de suma importância para você que quer se tornar um Empresário no Ramo de confecções.

SOLICITE ESSE MATERIAL GRATUITAMENTE NO BOTÃO “SOLICITAÇÕES”  NA PÁGINA PRINCIPAL DO SITE:



Formas de tributação – Empresa de Confecções

A escolha pela forma de tributação da empresa sem dúvida é um dos pontos mais importantes para obtenção de sucesso.

Sabemos da altíssima carga tributária que as empresas sofrem em Nosso País, com as empresas de confecção também não é diferente.

Qual regime tributário devo optar?

A resposta para a pergunta está na sua empresa, vai depender da quantidade de funcionários, do faturamento e da Margem de Contribuição. Normalmente a Opção pelo Simples Nacional é o mais vantajoso, visto ser imposto único e juntamente com ele, para as Indústrias de Confecção, integra a contribuição previdenciária patronal, mas o enquadramento em tal regime vai depender de cumprir alguns requisitos dentre eles o faturamento que não pode ser superior a R$ 3.600.000,00 no ano.

Embora o Simples Nacional quase sempre é o mais vantajoso, não devemos esquecer dos outros dois regimes principais: LUCRO REAL E LUCRO PRESUMIDO.

É de suma importância fazer um planejamento, analisando o movimento que a empresa possui, tanto fiscal quanto de funcionários, para poder optar pelo melhor regime sem ter surpresas posteriores. Entre em Contato conosco para fazer um planejamento sobre o melhor regime tributário para sua empresa.

Atualizado 12/02/2015


Contabilidade Personalizada – empresa de confecções

É notório que a maior parte das Indústrias da nossa Cidade de Apucarana atuam no ramo de confecções, seja de bonés, camisetas, jeans entre outros, fato é que a Contabilidade deve sempre se adequar as atividades da empresa, ou seja ela deve ser personalizada para cada ramo empresarial, visto que a necessidade das empresas variam de acordo com sua produção e capacidade.
Uma empresa para obter sucesso deve ter todas suas áreas tanto administrativa quanto a produtiva personalizada de maneira especifica para o que necessita, a fim de trabalhar de forma menos onerosa e ociosa.

Sendo a Contabilidade uma das mais importantes Ferramentas Gerenciais ela não pode ser algo que atenda as empresas de forma geral, precisando também ser personalizada para cada tipo de atividade, pois as peculiaridades que uma empresa Moveleira tem são distintas a de uma empresa de Confecções, assim na área produtiva, que vai exigir diferentes tipos de maquinários e mão de obra diferenciada, como na área administrativa a forma de vender o produto, os impostos incidentes, a emissão de Notas Fiscais, as obrigações acessórias exigidas pelo fisco, os investimentos entre outros.
Para que sua empresa obtenha sucesso ela precisa estar antenada para o que mais de adapta a sua atividade, caso contrário estará sempre atrás da concorrência, com serviços desnecessários, tempo ocioso, depreciações desnecessárias entre outras.
A Contabilidade é a melhor Ferramenta Gerencial para sua Empresa, mas ela precisa estar adaptada para sua atividade, caso contrário de nada ela vai servir. Agende um Horário Conosco e tire suas dúvidas, Somos especialistas na área de confecções.

Atualizado 11/02/2015
Resíduos da Confecção de Bonés

O problema de destinação correta dos resíduos industriais, política de produção reversa, vem sendo um problema que todas as indústrias estão enfrentando. As vezes é muito difícil dar a destinação correta para os resíduos. É preciso utilizar da criatividade.
A produção de Boné aqui na nossa Cidade de Apucarana, representa grande parte dos empregos e receitas, dessa forma é produzido um grande número de resíduos que muitas vezes acaba indo parar no aterro sanitário, sendo essa uma medida que vai contra as regras de proteção ambiental.
Na produção de boné são produzidos quatro tipo de resíduos: o que sobra logo após o corte, sobra na serigrafia, na costura e no acabamento.
Uma ideia para a destinação dos resíduos é a utilização desses resíduos na produção em uma cooperativa de confecção de tapetes, estopa, sacos de boxe e outros artesanatos, outra ideia seria incinerar em um forno próprio, onde cerca de 98% do resíduo poderia ser dissolvido e o que sobra pode ser utilizado como calçamento.
Fato é que na Nossa Cidade existem poucas cooperativas desse tipo e poucos fornos capazes de dissolver o resíduo. Mas isso não pode servir de desculpas para não dar a destinação correta do resíduo.

Atualizado 06/02/2015


Contabilidade – Empresa de Confecções de Bonés.


É evidente que o Nosso País vive uma situação caótica de crise, e o ramo de confecções da Nossa Cidade de Apucarana-PR também está passando por ela, todos querem economizar, pois não sabemos o que vai acontecer no próximo mês, os preços estão subindo, a Energia Elétrica todo Mês está tendo algum aumento e a Gasolina está com aumentos expressivos e com certeza vai influenciar no preço dos transportes e consequentemente em todos os demais produtos. A solução seria a diminuição de custos? Como diminuir custos sem perder a qualidade do produto? É por esses e outros motivos que várias empresas estão buscando aprimorar sua Contabilidade, sendo ela a principal ferramenta a nortear uma administração de custos, ela vai dizer onde seu custo pode melhorar, onde é possível cortar custos sem perder a qualidade do produto.

Uma dica para melhorar o desempenho seria melhorar as negociações com os fornecedores, visto a dificuldade em vender, todos os fornecedores estarão dispostos a melhorar prazos de pagamentos diminuir ou dar alguns descontos para não perder o cliente, com a crise que enfrentamos devemos sempre buscar melhorar as negociações.

Mas a dica principal é ter uma contabilidade gerencial e até uma consultoria/auditoria, onde possibilita verificar se a empresa está com algum funcionário ocioso, se é possível diminuir o pessoal, ou se é possível maximizar o uso de recursos materiais, tais procedimentos serão capazes de tornar sua empresa mais competitiva no mercado.

O Empresário do Futuro é aquele que sabe exatamente o que acontece em sua empresa, pois no mercado competitivo que temos hoje, não se admite erros, principalmente por não saber a real situação da empresa na hora de investir, negociar ou diminuir custos.

Atualizado 05/02/2015

Método de Custeio - Empresa de Confecções de Bonés.



Diante da vasta concorrência que as empresas de confecções sofrem na Nossa Cidade de Apucarana Estado do Paraná, é evidente que uma saber com exatidão os custos de produção dos bonés e camisetas vai ser um grande diferencial na hora das negociações.

O mais importante não é só saber os custos, e sim poder ter um parâmetro para planejar como vai conseguir diminuir os custos sem inferiorizar a qualidade do produto.

A contabilidade de custos é uma importante ferramenta para tomada de decisões, fazendo com que haja um melhor aproveitamento dos recursos e consequentemente aumenta a margem de contribuição para empresa.

Existem vários métodos de custeio que podemos utilizar, dentre eles estão o método de Custeio ABC, Custeio por absorção, Custeio por encomenda, que são os mais utilizados. Qual técnica será a melhor a ser utilizada? A resposta para essa pergunta está na sua própria empresa, o método deve se encaixar na atividade da empresa, na forma que ela trabalha, como são feitas as vendas, com base em um estudo vai ser capaz de identificar a melhor técnica.

A implantação de um método de custeio normalmente é demorada, pois ele cria mecanismos que interfere em vários departamentos dentro da empresa, e como nós sabemos não é fácil mexer na rotina trabalho dos colaboradores, sempre existe uma resistência, mas ela deve ser vencida, demonstrando os benefícios que o método vai trazer para empresa e para os colaboradores.

O Escritório Salvador, possui um pacote de serviços que visa identificar e implantar o método de custeio, para todas atividades empresariais, especialmente atividades de confecções que é a maior atividade empresarial da Nossa Cidade de Apucarana. Entre em Contato Conosco para maiores informações.

atualizado 03/02/2015


LICITAÇÃO


Como fornecer produtos e serviços para o Governo?
Sabemos da dificuldade em atender as exigências que o Governo solicita, mas também é notório as vantagens do fornecimento para pessoas públicas. Existe grande número de empresas especializadas em atender somente o governo, o que torna ainda mais acirrada a concorrência.
Alguns procedimentos que precisam ser seguidos para evitar problemas e conseguir estar sempre em condições de fornecer os produtos/serviços ao Governo.
Elaborar um controle para estar com as certidões sempre atualizadas e manter sempre a contabilidade em dia facilitando o controle dos índices gerencias são duas dicas que devem serem seguidas a risca.
Mas além dessas dicas, existem alguns controles que precisam serem elaborados, para facilitar na hora de participar de um certame.

É preciso se atentar com os índices financeiros pois eles podem ajudar ou atrapalhar em um processo licitatório.
Outra dica importante é conhecer o Direito Administrativo, dessa forma será possível prever até onde a pessoa pública pode ou não manusear o procedimento de licitação, tento em vista ser um ato administrativo bastante complexo, sendo necessário se atentar aos pequenos detalhes para não ser desclassificado, e para poder contestar os concorrentes.

Atualizado 03/02/2015 - 08:49 am


GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO COMO FERRAMENTA GERENCIAL.

A gestão do capital de giro tornou-se uma ferramenta gerencial importante na administração dos negócios devido à grande concorrencia, competitividade e a busca por melhores resultados para as empresas. Com isso verifica-se a grande importância e necessidade de capital de giro, identificando e avaliando os fatores que causam sua redução ou expansão bem como as consequências que refletem na tesouraria.

Sabemos que o Capital de Giro é o que faz as empresas funcionarem, a falta dele acabará paralisando todas as atividades da empresa, ele é o que dá vida para as empresas, sendo um investimento que é aplicado na atividade empresarial, que depois de vendido o produto ou serviço deve retornar o valor aplicado acrescido dos lucros pretendidos.

Para fazer uma analise do Capital de Giro existem algumas técnicas, agende um horário conosco para maiores informações.

02/02/2015

Número de novas empresas sobe 1,4% em 2014, diz Serasa



A quantidade de novas empresas do Brasil cresceu 1,4% em 2014, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas. No total, foram criadas 1.865.183 novas empresas no Brasil.
Em dezembro, porém, houve uma queda de 29,3% no número de novas empresas em relação a novembro, com a criação de surgiram 102.479 empreendimentos. Em relação ao mesmo mês do ano anterior, entretanto, houve acréscimo de 6,5%.
De acordo com os economistas da Serasa Experian, a queda do número de empresas criadas em dezembro em relação a novembro é decorrência da sazonalidade adversa do período (festas de final de ano), o que acaba inibindo a decisão de abertura de novos negócios.
Tanto foi assim, que a queda foi registrada em todos os segmentos: entre os Microempreendedores Individuais (MEIs), responsáveis por mais de dois terços dos novos empreendimentos (66,5% do total), foram 68.187 novas empresas, contra 107.374 em novembro (queda de 36,5%).
As Empresas Individuais registraram queda de 11,5% de um mês para o outro (12.465 em dezembro contra 14.092 em novembro). As Sociedades Limitadas registraram 14.367 empresas em dezembro, contra 16.011 em novembro (queda de 10,3%).

Fonte: g1.globo.com
31/01/2015

DICAS PARA EVITAR PROBLEMAS NO IMPOSTO DE RENDA

Um dos Maiores problemas dos contribuintes é deixar para procurar e solicitar documentação na ultima hora, ocorre em muitos casos de não encontrar ou não conseguir em tempo hábil tudo que é necessário para elaboração correta da declaração, o que pode causar um sanção fiscal ou o pagamento superior do imposto.

Segue infrarrelacionado algumas dicas:

  • 1-Procure a declaração do ano anterior: O contribuinte deve procurar a declaração que foi entregue no ano anterior, pois os dados serão utilizados como iniciais na declaração desse ano, tenha em mãos não somente a declaração impressa mas tamém a declaração em arquivo que foi transmitida.

  • 2-Verifique o que houve de mudanças esse ano em relação a declaração do ano passado, houve venda ou compra de bens: veículos ou imóveis? Foi feito algum empréstimo ou aplicação financeira? Houve compra ou venda de ações na bolsa de valores? Caso tenha, será necessário solicitar os extratos, recibos ou escrituras para efetuar os lançamentos.

  • 3-Separe os comprovantes de despesas dedutíveis: separe os recibos e notas fiscais de gastos com médicos, dentistas, fisioterapia e psicologia além de gastos com ensino, do titular e seus dependentes, se tiver plano de saúde peça um extrato dos gastos.

  • 4-Solicite para as fontes pagadoras os informes de rendimento: as empresas e instituições financeiras estão obrigadas a enviar até o final de fevereiro os informes de tudo que o contribuinte recebeu, seja a título de trabalho assalariado ou rendimentos de poupanças e outras aplicações.

  • A MELHOR DICA É SEMPRE PROCURAR UM PROFISSIONAL DA CONTABILIDADE, ELE PODERÁ INFORMAR AO CONTRIBUINTE TUDO O QUE PRECISARÁ SER FEITO PARA EVITAR PROBLEMAS COM O FISCO E PAGAMENTO DE IMPOSTO INDEVIDO, TENDO EM VISTA QUE CADA CONTRIBUINTE POSSUI DESPESAS E RECEBIMENTOS DIFERENCIADOS UNS DOS OUTROS E NÃO VAI EXISTIR UM PADRÃO QUE TODOS DEVEM SEGUIR, MUITOS CONTRIBUINTES QUEREM ECONOMIZAR FAZENDO SUA PRÓPRIA DECLARAÇÃO E ACABAM POR FALTA DE EXPERIÊNCIA FAZENDO ERRADO E DEPOIS PROCURA UM CONTADOR PARA ARRUMAR O QUE FOI FEITO E CERTAS COISAS NÃO TEM MAIS CONSERTO DEPOIS DE ENTREGUE.




O ANO MAU COMEÇA E O FANTASMA DO IRPF JÁ COMEÇA ASSOMBRAR OS CONTRIBUINTES!


O ano mau começou, mas o Imposto de Renda Já começa a assustar os contribuintes, para evitar transtornos o ideal é já começar a separar os documentos que serão necessários para a declaração, tais como certificado de registro de veículos que foram comprados ou vendidos em 2014; matrículas de imóveis comprados ou vendidos em 2014; extratos de financiamentos, investimentos, contas correntes, poupanças, ações; informe de rendimentos recebidos em 2014, rendimentos de alugueis, recibos ou notas fiscais de despesas médicas pelo titular ou seus dependes(Médico, Dentista, Fisioterapeuta, Psicólogo), despesas com instituição de ensino pelo titular ou seus dependentes, notas fiscais e recibos de reformas em algum imóvel. Os extratos bancários devem serem enviados pelos bancos no próximo mês mas o contribuinte deve ficar atento caso não receba deve procurar a agencia bancária e solicitar para evitar transtornos de deixar para ultima hora. Mas a melhor dica é procurar um profissional da Contabilidade para maiores orientações, pois um caso é diferente do outro e deve ser analisado com extremo cuidado, evitando erros que podem causar o recolhimento indevido do imposto ou uma eventual sanção fiscal.

A tabela do IR ainda está em discussão, mas deve sair a definitiva nos próximos dias.


21/01/2015 07h23 - Atualizado em 21/01/2015 07h40

Governo publica decreto que aumenta IOF sobre crédito

Alteração entrará em vigor nesta quinta-feira (22), segundo Diário Oficial.
Alíquota passará de 1,5% para 3% ao ano.

O governo publicou nesta quarta-feira (21) o decreto que aumenta o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) que incide nas operações de crédito para o consumidor.

O crédito fica mais caro a partir de quinta-feira, quando a nova regra entra em vigor, segundo o "Diário Oficial da União".

A alíquota passará de 1,5% para 3% ao ano (o equivalente à alta de 0,0041% para 0,0082% por dia). Esse valor será cobrado além dos 0,38% que incidem na abertura das operações de crédito. Com essa medida, o governo espera arrecadar R$ 7,38 bilhões neste ano.

FONTE: http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/01/gover...


Lei para redução no tempo para abertura de empresas ainda não está sendo cumprida.


Segundo a Lei Sancionada pela Presidente da República no dia 07 de Agosto de 2014 o prazo para abertura de uma empresa seria de no máximo cinco dias o que iria facilitar e viabilizar a abertura de empresas que fica presa em uma burocracia tanto da União, quanto dos Estados e Municipios, mas aparentemente tal lei não vem sendo cumprida, talvez por falta de criação de mecanismos que viabilize os procedimentos. A abertura de uma empresa com as respectivas inscrições no CNPJ/MF, Inscrição Estadual e Municipal ainda está muito lenta em média demora de três a quatro meses, o principal problema está nos procedimentos para inscrição municipal, que aqui no Município de Apucarana, ainda precisa fazer no mínimo três solicitações, o pedido de autorização para o Corpo de Bombeiros, autorização da vigilância sanitária e por último autorização da prefeitura com a expedição do alvará de funcionamento, isso para empresas que não precise de outras autorizações como, por exemplo, do IAP, Tal procedimento é muito demorado e vem causando muitos transtornos para os Contadores e Empresários que sofrem com um sistema altamente burocrático, oneroso e que ainda não funciona corretamente. O Presidente do Comitê Gestor Municipal juntamente com o Chefe do Executivo já fizeram algumas reuniões para tentar melhorar os procedimentos, mas diante da complexidade do tema o problema ainda não foi sanado.


CTPS digital entra em vigor a partir de janeiro de 2015

A partir de 1º de janeiro de 2015, passa a valer, em todos os estados da federação, a carteira de trabalho digital. Entre as vantagens aos cidadãos, destaque para a entrega do documento no ato da solicitação e a concentração das informações de diversos bancos de dados do governo federal. Notícia completa


Se quiser realizar um sonho é fundamental ter planejamento

Todos os seus sonhos podem se tornar realidade se você tem coragem para persegui-los”. A frase, de Walt Disney (1901-1966), responsável por dar vida a personagens como Mickey Mouse, Pato Donald e companhia, e por criar a Disneylândia, é inspiradora. A citação motiva muitos que já traçam metas e desejos para o novo ano que se aproxima.
Porém, para transformar sonhos em realidade, muito mais do que coragem, é preciso foco e vasto planejamento. “O segredo para essa transformação passa por duas etapas: planejamento e execução”, afirma Daniel Schnaider, consultor de negócios e sócio do SCAI Group.
O consultor orienta que, “assim como fazemos com diversos custos que temos, também para os sonhos é preciso reservar uma parte dos recursos. Nesse sentido, três perguntas – como devo economizar? Quanto devo economizar? Em quanto tempo quero e preciso economizar para que possa realizar meu sonho? – devem ser feitas constantemente, uma vez que as respostas facilitam o processo de provisionamento”.
O economista Erick Thau, da Técnica Finance Advisory e da Salix Group, destaca que, no planejamento, o tamanho do sonho não é o mais importante. “O que vale é o foco em cumprir o planejado, independentemente do porte desse desejo. Para conseguir tal feito, cada sonhador deve organizar de maneira eficiente suas receitas e suas despesas”, diz.
Na visão do economista, “a tarefa de controle de gastos é algo difícil para muitos, mas imprescindível para que não só se conquiste o que é desejado como também se faça com o melhor custo de oportunidade possível”.

Mudança de comportamento
Os especialistas em finanças advertem que a conquista do sonho passa, necessariamente, por mudanças no comportamento e na relação que o brasileiro tem com o dinheiro.
“Infelizmente, o brasileiro não cultiva a cultura de se planejar financeiramente, ainda que seja para a realização de um sonho. Esse comportamento de gastar antes de se programar, em muitas ocasiões, acaba por trazer mais ônus do que bônus na conquista de seus desejos”, avalia Thau.
O economista ilustra que isso acontece porque, para muitos, “basta que a parcela caiba no bolso para gastar, sem que haja qualquer preocupação com a taxa de juros que incide nesse parcelamento”.
O consultor Daniel Schnaider levanta outra dificuldade de conduta financeira, relacionada à chamada economia comportamental.
“Nessa área, pesquisas mostram que o cérebro humano funciona em um processo de contabilidade mental, onde os recursos são alocados, em pensamento, para diferentes setores, como educação, saúde, lazer e viagens”, explica.

De acordo com o consultor, “os estudos também revelam que o ser humano tem dificuldade em transferir recursos de um setor para outro. Essa limitação mental faz com que, por vezes, o sonho se distancie, acreditando-se não haver verba suficiente para realizá-lo, quando na verdade há, mas está alocada em outra pasta dessa contabilidade mental”.
Karen Calixto, especialista em educação e coaching financeiro, destaca que a mudança de comportamento passa ainda pela melhoria na organização das finanças.
“Assim como fazemos com a saúde do corpo, a saúde financeira também carece de avaliações frequentes e detalhadas. Isso porque só podemos saber para onde vamos se sabemos onde estamos”, afirma.


Divisão dos sonhos
Para facilitar o planejamento que permitirá a realização dos desejos, Karen Calixto sugere categorizá-los, de modo que sejam mensurados e divididos em curto prazo, com até um ano para ser realizado; médio prazo, a ser realizado em até dez anos; e longo prazo, que exigirá planejamento de mais de uma década.
“Com essa divisão, fica mais fácil orçar e alinhar estratégias claras, simples e eficientes que possibilitem alcançar cada um dos propósitos, lembrando que as ações devem ser pensadas simultaneamente para as três esferas de sonho”, aconselha a especialista.
Daniel Schnaider ressalta que, qualquer que seja a categoria ou fase de divisão do desejo, cada etapa vencida e cada degrau alcançado rumo à concretização dele, ainda que pequeno, seja muito celebrado.
Para o consultor de negócios, “a comemoração trará esperança, energia e motivação para seguir a trajetória até a realização total do que é almejado”.


O que fazer:
Dicas para transformar sonhos em realidade:
Não tenha medo de sonhar
Categorize os sonhos em curto, médio e longo prazos
Planeje as finanças: organize-se de modo que possa controlar os gastos e guardar mensalmente uma reserva exclusivamente para a realização dos sonhos
Procure instrumentos financeiros para guardar e/ou ampliar o dinheiro: poupança, previdência privada e fundos de investimentos são algumas das opções
Coragem e atitude também são fundamentais

FONTE: JORNAL CONTÁBIL

Contador Garante a Saúde Financeira das Empresas
Apesar da importância do profissional, estatísticas mostram que 70% das micro e pequenas empresas não fazem a contabilidade adequadamente. FONTE: FECOPAR. Notícia completa


ALTERAÇÕES NO SIMPLES NACIONAL


Atividade de Advocacia poderá ser enquadrada no Simples Nacional a partir de Janeiro de 2015, tal regime trará consigo grandes benefícios para classe, tendo em vista que na pessoa física a tributação começa com uma alíquota de 7,5% podendo chegar até a 27,5% - Já na pessoa jurídica a tributação começará com uma alíquota de 4,5% podendo chegar no máximo á 16,85%, sendo optante pelo Simples Nacional, se não houver alterações na Lei, o escritório não estará sujeito a Retenção do Imposto de Renda na Fonte - IRRF. Para a Empresa que já está constituída é necessário fazer o enquadramento, sendo o prazo até 31 de Janeiro de 2015, e poderá ser feito uma prévia para verificação de problemas que possam impedir a inclusão o quanto antes, uma vez que alguns problemas exigem prazos para serem solucionados.

AGENDE UMA REUNIÃO NO NOSSO ESCRITÓRIO E TIRE SUAS DÚVIDAS




LICITAÇÃO


Como fornecer produtos e serviços para o Governo?
Sabemos da dificuldade em atender as exigências que o Governo solicita, mas também é notório as vantagens do fornecimento para pessoas públicas. Existe grande número de empresas especializadas em atender somente o governo, o que torna ainda mais acirrada a concorrência.
Alguns procedimentos que precisam ser seguidos para evitar problemas e conseguir estar sempre em condições de fornecer os produtos/serviços ao Governo.
Elaborar um controle para estar com as certidões sempre atualizadas e manter sempre a contabilidade em dia facilitando o controle dos índices gerencias são duas dicas que devem serem seguidas a risca.